Ultimas Noticias

6/recent/ticker-posts

Enquete

Chineses descobrem asteróide potencialmente perigoso de 170 metros | Reconvale Noticias




Em setembro de 2023, o Telescópio de Pesquisa de Campo Amplo (WFST) iniciou operações na Província de Qinghai, noroeste da China. Este avançado instrumento astronômico é uma colaboração entre a Universidade de Ciência e Tecnologia da China e o Observatório da Academia Chinesa de Ciências.
A missão principal do WFST abrange o estudo do Sistema Solar e supernovas, além de servir como um sistema de vigilância espacial e alerta precoce. Nomeado em homenagem a Mozi, um filósofo chinês antigo conhecido por suas contribuições para experimentos ópticos, o telescópio possui um diâmetro de 2,5 metros.
O WFST fez uma estreia significativa ao capturar uma imagem da Galáxia de Andrômeda em 17 de novembro, seu primeiro dia de operação. Além disso, desempenhou um papel crucial na identificação de novos asteroides no Cinturão de Kuiper e na redescoberta de vários objetos próximos à Terra.
Descoberta dos Asteroides 2023 WX1 e 2023 WB2
Em apenas dois meses de operação, o WFST conseguiu descobrir dois novos asteroides, designados como 2023 WX1 e 2023 WB2 pelo Centro de Planetas Menores da União Astronômica Internacional, onde especialistas de Harvard estão envolvidos. O primeiro asteroide, 2023 WX1, foi classificado como potencialmente perigoso, com uma distância mínima de interseção de órbita da Terra de aproximadamente 6,22 milhões de quilômetros. Em termos astronômicos, essa proximidade é significativa, embora atualmente não represente uma ameaça direta de colisão no futuro próximo. O 2023 WX1 mede cerca de 170 metros de diâmetro, comparável ao tamanho de um campo de futebol profissional.
O segundo asteroide, 2023 WB2, também foi observado, mas é considerado menos ameaçador.
O tema dos impactos de asteroides na Terra tem sido objeto de intenso estudo por décadas, especialmente após a constatação de que uma colisão de asteroide provavelmente levou à extinção dos dinossauros. Com o avanço da tecnologia, os cientistas estão agora melhor equipados para avaliar a probabilidade de tais eventos catastróficos.
Segundo o Escritório de Defesa Planetária da NASA, embora haja sempre um risco potencial, nenhum perigo imediato é antecipado no próximo século. Dos cerca de 750.000 asteroides conhecidos nas proximidades do Sistema Solar, cerca de 2.304 são categorizados como potencialmente perigosos. No entanto, até agora, nenhum deles está projetado para colidir com a Terra.

Postar um comentário

0 Comentários