Médico Bolsonarista é preso em flagrante por estuprar paciente durante parto em hospital do RJ


Flagrado estuprando uma paciente durante o parto dela, um médico anestesista foi preso por estupro de vulnerável na madrugada desta segunda-feira (11), no Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

A vítima estava dopada porque passava por uma cesariana e a ação filmada por integrantes da equipe médica, que denunciaram o anestesista.
Giovanni Quintella Bezerra, de 32 anos, foi preso depois que funcionários da unidade de saúde o filmaram, com um telefone celular, no momento em que passava o pênis no rosto da paciente, enquanto ela estava desacordada e deitada na maca. As imagens mostram ainda que o órgão foi introduzido na boca da parturiente, enquanto a equipe trabalhava na cirurgia.

Nas imagens, Bezerra estava afastado da equipe médica, que não conseguia ver o que fazia, por conta do isolamento feito pelo campo cirúrgico, que delimita a área do corpo onde é realizado o procedimento. À Polícia Civil, as funcionárias relataram que vinham suspeitando da quantidade de sedativos aplicada pelo anestesista nas grávidas e, por isso, decidiram deixar um celular filmando o profissional no procedimento.
Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj), Clóvis Munhoz, destaca que o órgão recebeu denúncias e abriu procedimento cautelar para suspensão imediata do médico, devido à gravidade das imagens. “O Cremerj instaurará, após o procedimento cautelar, um processo disciplinar de cassação”, afirmou.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a direção da unidade informaram que, acionadas pela equipe médica, denunciaram o crime à Polícia Civil, que foi à unidade e prendeu o anestesista em flagrante.

Segundo a pasta, Bezerra não é servidor do estado, tem título de especialista em anestesiologia, registro regular no Conselho Regional de Medicina (CRM) e prestava serviço havia seis meses como pessoa jurídica para a unidade e para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

A SES e a Fundação de Saúde do Estado do Rio de Janeiro informaram que “será aberta uma sindicância interna para tomar medidas administrativas, além da notificação ao Cremerj”. A equipe da unidade médica de São João de Meriti afirmou que presta, neste momento, todo apoio à vítima e aos familiares.

Giovanni Quintella Bezerra está preso na carceragem da Delegacia da Mulher de São João de Meriti. Em nota, o Escritório Novais Advogados Associados, que seria responsável pela defesa do anestesista, informou que deixou o caso; ainda não foi houve divulgado o nome do advogado que assumirá a defesa de Bezerra.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem