Ultimas Noticias

PF investiga super ministro de Bolsonaro em caso de quase meio bilhão de reais na área da educação! Leia e compartilhe...


Diante das fortes denúncias, o que farão Jair Bolsonaro e Sérgio Moro? Permitirão que a PF investigue corretamente o 'Super Ministro' ou dirão que tudo é coisa do PT?

Justiça | Paulo Guedes foi alçado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à condição de 'Super Ministro' da Economia no futuro governo. Agora esse 'quase Deus' é oficialmente alvo de um inquérito da Polícia Federal. A PF investiga transações com verbas milionárias de fundos de pensão patrocinados por estatais, dentre os quais Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa). Valor de quase meio bilhão de reais (R$ 400 milhões) — manipulado a favor de "projetos educacionais" de empresas do 'Super Ministro — compõe a investigação.
Diante da notícia de abertura do inquérito, muitos eleitores de Jair Bolsonaro querem que o futuro ministro não assuma o cargo, até que o processo seja concluído e se comprove que Guedes não é culpado. Outros, no entanto, não creem nas denúncias e chegam a dizer que tudo é uma armação para sabotar o futuro governo. Após o anúncio, síntese dos prováveis e cabeludos ilícitos que teriam sido cometidos pelo 'Posto Ipiranga' e guru do capitão reformado do Exército.
As acusações
Segundo o jornalista *Fernando Brito:
1. O Fundo de Investimento em Participações (FIP) BR Educacional, pertencente a Guedes, recebeu R$ 400 milhões para investir em projetos educacionais não avaliados devidamente e que teriam dado "lucros excessivos" à empresa do 'Super Ministro'.
2. No negócio, de tacada, o fundo de Guedes embolsou toda a 'comissão' sobre o total de investimentos previstos — uma bolada de R$ 6.6 milhões antes mesmo de qualquer operação. Continua, após o anúncio).

3. A seguir, a parte mais "cabeluda": o fundo controlado por Guedes investiu em uma única empresa, de propriedade do próprio 'Super Ministro', a HSM Educacional que, por sua vez, comprou com um ágio estimado em R$ 16,5 milhões outra HSM, esta argentina, que nem tinha funcionamento no Brasil. Tal HSM passou a dar prejuízo. Logo, o investimento virou negativo — mas pagou a bagatela de R$ 12 milhões em palestras, muitas delas dadas por...Paulo Guedes.
E agora, o que farão Jair Bolsonaro e o justiceiro Sérgio Moro? Permitirão que a PF investigue corretamente o 'Super Ministro' ou dirão que as denúncias são coisas do PT?
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário