Ultimas Noticias

PARA 79%, EXPLICAÇÃO DE BOLSONARO NÃO FAZ SENTIDO E QUEIROZ É CAIXA DA FAMÍLIA

Pesquisa feita com a Comunidade 247 neste sábado 8 aponta que a grande maioria dos entrevistados (79%) acredita que a versão do empréstimo contada por Jair Bolsonaro para justificar o cheque de R$ 24 mil do ex-assessor Fabricio Queiroz a Michele Bolsonaro "não faz sentido" e que o ex-funcionário "era o caixa da família"; 12%, no entanto, avaliam que ele merece crédito e que a versão pode ser verdadeira; já para 9%, mesmo que o empréstimo fosse verdade, ele deveria ter sido declarado ao Imposto de Renda

 Uma pesquisa publicada neste sábado 8 na Comunidade do 247 no YouTube questionou a opinião dos entrevistados sobre a versão contada pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), a respeito do cheque feito nominalmente à futura primeira-dama, Michel Bolsonaro, no valor de R$ 24 mil.
O cheque foi encontrado com o ex-assessor da família Fabricio Queiroz, cuja conta bancária movimentou R$ 1,2 milhão no período de um ano. Segundo Bolsonaro, tratava-se de um pagamento a um empréstimo concedido por ele ao ex-funcionário no valor de ao menos R$ 40 mil. O presidente eleito admitiu não se lembrar do valor total e também não ter declarado a transação em seu Imposto de Renda.

Para 79% dos que responderam à pesquisa, a versão do empréstimo contada por Bolsonaro "não faz sentido" e Fabricio Queiroz "era o caixa da família". Outros 12%, no entanto, avaliam que o presidente eleito merece crédito de confiança e que a versão pode ser verdadeira. Já para 9%, mesmo que o empréstimo fosse verdade, ele deveria ter sido declarado no IR.

"Uma pessoa que movimentou mais de um milhão na conta não precisaria pedir emprestado 40 mil", observa Ozéas Luiz Mainenti Simões, que votou com os 70%. Claudia B, que também não acredita na versão de Bolsonaro, faz ainda uma provocação ao futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro: "Cada dia fica mais claro, o Juizeco não está nem aí pra corrupção, o importante é acabar com o Lula e o PT!!!".

Virgílio Manuel defende que seja dado a Bolsonaro "o direito à presunção de inocência". "Depois das investigações teremos um veredito. Era assim que deveria ser com todo mundo", destaca. Seu voto foi a favor de que Bolsonaro, mesmo que estivesse falando a verdade, deveria ter declarado seu empréstimo ao fisco.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário