Ultimas Noticias

6/recent/ticker-posts

Enquete

Governo Lula vai pagar bolsa de R$ 3,3 mil para estudantes de pós-graduação; Entenda




Desde a transição de governo, prometida sem reajuste há 10 anos, o aumento do valor das bolsas de pós-graduação no Brasil será anunciado pelo presidente Lula (PT) na próxima quinta-feira (16). Segundo informações do governo, a nova transferência entrará em vigor a partir de março, com um ajuste médio de 40%.
Para a Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG), uma compensação ideal para perdas inflacionárias desde 2013 exigiria um aumento de 75%, mas a instituição comemorou seu atual reajuste.
De acordo com o presidente da ANPG, Vinicius Soares, o próximo passo é defender os direitos dos trabalhadores aos bolsistas.
Qual é o preço das ações da bolsa depois que o Governo se ajustou?
No evento, que será realizado às 15h do dia 16, a expectativa é que Lula também divulgue a ampliação dos beneficiários da bolsa de pós-graduação. Por enquanto, sabe-se que uma bolsa de pós-graduação de mestrado será de R$ 2,1 mil, e uma bolsa de doutorado será de R$ 3,3 mil.
Anteriormente, eram R$ 1,5 mil e R$ 2,2 mil, respectivamente. Então, a bolsa de pós-doutorado paga em torno de R$ 5 mil, então o reajuste deve ser pequeno.
Além dessas, as bolsas de iniciação científica do ensino médio podem mais que dobrar a partir de R$ 100, mas a residência que se recondicionou no ano passado não deve fazer parte do pacote anunciado amanhã.
Investimentos com bolsas do Capes subirão em torno de R$ 1 bilhão
Considerando apenas o reajuste das bolsas de pós-graduação, o governo terá que investir cerca de 1 bilhão de reais, utilizando recursos do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Ciência e Tecnologia.
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Cape) conta atualmente com 200 mil bolsistas, enquanto outros 77 mil fazem parte do Conselho Nacional de Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia (CNPQ). Ambos estão nas mais diversas áreas do conhecimento.
                                     Fonte: Finanças Brasil

Postar um comentário

0 Comentários