Ultimas Noticias

6/recent/ticker-posts

Novas informações sobre o assassinato da conquistense Marinez Alves Caetano | Reconvale Noticias




Marinez Alves Caetano, de 54 anos, natural de Conquista, no sudoeste baiano, vivia com o companheiro em São Paulo. A relação dos dois não era das melhores e a convivência passou a ser insustentável. A mulher decidiu voltar para o seio familiar para recomeçar a vida. Dias após a mudança, ela foi convencida pelo ex a reatar o casamento, mas acabou supostamente morta por ele e enterrada no quintal de uma casa em Barra do Choça, também no sudoeste.
Em julho, após a separação, Marinez foi morar ao lado de familiares em José Gonçalves, cidade do interior de Minas Gerais. Eurico foi em busca dela com a promessa de reconstruir a relação. 22 dias após a mudança para o município mineiro, a vítima resolveu morar com uma irmã em Vitória da Conquista. Em terras baianas, ela foi convencida a reatar o relacionamento e recomeçar tudo do zero em um outro endereço: Barra do Choça. “Minha irmã veio embora porque estava separada de Eurico. Ele falava que não queria mais ela. Eles brigavam muito. À noite, na cama, ele xingava ela de tudo quanto é nome […] Ele veio para José Gonçalves e foi na minha casa umas três vezes, ligava, ligava, mas a gente não sabia que eles conversavam. Ela não falava para ninguém da família”, disse Eliane dos Santos, em entrevista à TV Record.
“Ele disse que não queria mais Marinez, mandou embora de São Paulo dizendo que estava sendo traído, que era para ela procurar a família. Quando ela já estava numa boa, vivendo e reconstruindo a vida, ele veio pedindo para tentar de novo. Ela foi para Conquista e, de lá, ele levou ela para Barra do Choça. Depois desse dia, não tivemos mais notícia”, completou uma outra irmã, Maria da Glória dos Santos, também em entrevista à emissora. A vítima passou a morar com o suspeito em uma casa alugada na Rua Amazonas, no bairro Ouro Verde. A família dela passou a desconfiar do crime, quando Eurico entrou em contato para avisar que havia voltado para São Paulo, mas que não sabia sobre o paradeiro de Marinez.
“Ele mandou um áudio para minha outra irmã dizendo que tinha chegado em São Paulo, mas ela, não. Aí, eu comecei a ligar para os familiares dele que moram em um sítio em Barra do Choça. Um sobrinho dele disse que Marinez nunca tinha ido lá [no sítio da família do suspeito]”, completou Maria da Glória. Na última quinta-feira (11), no quintal da casa onde o casal vivia policiais encontraram uma cova rasa. Lá, estava o corpo de Marinez. O homem foi visto pela última vez por vizinhos deixando o imóvel dois dias antes. O caso é investigado pela Polícia Civil e Eurico é considerado o principal suspeito de matar e ocultar o cadáver.

Postar um comentário

0 Comentários