ACM Neto explica o porquê de não anunciar apoio a pré-candidato a presidente e cita "pressão"; confira | Reconvale Noticias


Desde o início de sua pré-campanha para o Governo do Estado, o ex-prefeito ACM Neto (UB) tem dito que não irá apoiar nenhum postulante ao governo federal. Com a ideia de palanque aberto, ele afirma que está mais preocupado com o futuro da Bahia e garante que, se eleito, pode governar com qualquer presidente eleito.
No entnato, Neto se tornou alvo de seus principais adversários, João Roma (PL) e Jerônimo Rodrigues (PT), que o associam ao ex-presidente Lula (PT) e ao presidente Jair Bolsonaro (PL), respectivamente.
Apesar das críticas, o ex-prefito garante que manterá a neutraldiade até o momento das eleições, mesmo o seu partido, o União Brasil, tendo lançado a pré-canidatura de Luciano Bivar à Presidência.
"Normalmente, quando se fala em eleição presidencial hoje, e o que se passa na cabeça das pessoas vem imediatamente o nome do ex-presidente Lula e do atual presidente Bolsonaro. Esse quadro de polarização que está posto na política nacional. Primeiro eu tenho dito em todo lugar que a gente não tem bola de cristal para para saber se realmente esse será o quadro em outubro. Daí, é fundamental ter cautela em qualquer análise. A gente que tem um pouco da vivência sabe que a política é muito dinâmica e fatos podem acontecer e tragam uma mudança completa do cenário, uma reviravolta completa", disse Neto, acreditando que até a eleição o cenário pode mudar.
O ex-prefeito aproveitou também para ressaltar que respeita as decisões dos partidos que compões sua base na Bahia em relação à eleição nacional.
"O segundo ponto, eu tenho dito que aqui na Bahia nós temos nove partidos, podendo chegar a 10, que integram a nossa base e devem marchar conosco em outubro desse ano. Cada um tem uma posição, e eu tenho que respeitar essa pluralidade e essa diversidade partidária que integram a minha base aqui na Bahia" afirmou.
ACM Neto se esquvi ou em declarar apoio a Luciano Bivar, presidente nacional do União Brasil e scolhido para concorrer ao Palácio do Planalto pela sigla.
"Nesse momento, o União Brasil, meu partido, tem um pré-candidato colocado, que é o próprio presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar. Com a existência de uma pré-canidatura interna, é evidente que eu tenho que respeitar, até porque ela tem hoje um suporte de todo o partido. Venho dizendo que o que mais importa hoje é que, qualquer que venha a ser o resultado das eleições em outurbo, eu estarei preparado, para governar a Bahia, como fiz em Salvador durante oito anos. Nesses oito anos, eu lidei com três presidentes diferentes, Dilma, Temer e Bolsonaro, e Salvador nunca teve nenhum prejuízo com isso. Tenho experiência de mais de 20 anos de caminhada e tenho a visão de que passada a eleição, você tem que governar para todos", disse.
"Tem que governar para todo mundo. Nesse sentido, qualquer que seja o resultado em outrubo, se eu for eleito governador, se eu tiver a confiança dos baianos para governar a Bahia, eu vou bater na porta do presidente ou da presidente que venha a ser escolhido. E vou dizer, 'está aqui a Bahia, vou fazer meu dever de casa e vou ter a melhor relação institucional possível'", completou.
Neto reforçou também a ideia de ter o palanque aberto até as eleições e disse que não pretende fazer prognósticos de apoio pensando em segundo turno ainda.
"Nós temos aqui uma linha de manter o nosso palanque aberto, de não assumir oficialmente uma candidatura, mas de trazer uma palavra de total segurança aos baianos de que estaremos prontos para governar com qualquer que seja o presidente eleito. 'Ah, Neto, e no segundo turno?'. Bom, se a gente não tem como antecipar qual é o cenário do dia 2 de outubro, imagine no segundo turno. Cada coisa no momento certo, cada decisão na sua hora", finalizou.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
-- Composite Start -->