Bahia terá 17 grandes festas privadas de réveillon com até 5 mil pessoas | Reconvale Noticias




Com a opção da maioria das prefeituras do estado em não fazer festa pública para o Réveillon de 2022, pelo menos 17 grandes festas privadas vão ocorrer na Bahia. Seis delas somente na capital. O público dos eventos poderá chegar a até cinco mil pessoas, como autoriza a nova portaria do governo do estado.
Além de Salvador, Vera Cruz e Itaparica, na Ilha, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Ilhéus e Itacaré cancelaram as festas públicas de virada depois do espalhamento mundial da variante ômicron do coronavírus.
Os ingressos para essas festas particulares chegam a custar até R$ 4 mil, no caso do Réveillon Mil Sorrisos, em Barra Grande, Maraú. As atrações de destaque nacional justificam os preços - Anitta, Léo Santana, Psirico e Barões da Pisadinha. Além disso, mais de 350 festas menores, em hotéis e pousadas, estão previstas para acontecer, de acordo com o Sympla, plataforma de venda de ingressos online.
Segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), a responsabilidade de fiscalizar e controlar o contágio da covid-19 é das prefeituras das cidades onde as festas vão ocorrer. A pasta explica que outros fatores foram considerados para a ampliação do público permitido em espaços fechados. “Os indicadores para se avaliar novas flexibilizações não são analisados de forma isolada. São levados em conta diversos fatores, a exemplo da cobertura vacinal, casos ativos e taxa de ocupação de leitos, de forma conjunta”, esclarece a Sesab, em nota.
Vacina para trade turístico
Para tentar proteger a população, o secretário municipal de turismo de Itacaré, José Alves, diz que a prefeitura iniciará uma campanha de vacinação para os trabalhadores do trade turístico tomarem a dose de reforço anticovid-19. Em novembro, a Sesab, seguindo recomendação nacional do Ministério da Saúde (MS), liberou os maiores de 18 anos para receberem a terceira dose, desde que cinco meses após o recebimento da segunda.
“Vamos começar uma campanha fortíssima para todos que não tomaram a segunda dose colocarem em dia, e a dose de reforço para os que trabalham no trade, em bares, restaurantes, hotéis, motoristas e condutores. Boa parte ainda não tomou, cerca de 40 a 50%”, afirma Alves. Ele pontua que a cidade segue “à risca” os decretos estaduais e que os eventos podem ser cancelados, se houver nova determinação do governo.
No verão, a expectativa é que exista, no mínimo, uma festa por dia na cidade. “Estamos fiscalizando o uso de máscara nas festas e orientando todos os produtores a pedirem os comprovantes de vacinação na entrada”, acrescenta. Para ele, a vacina é a grande aposta contra o possível aumento de casos. “Em praça pública, não temos como controlar o acesso, já nas festas privadas, sim. E a exigência da vacina e máscara é uma forma de controle, um risco controlado”, diz José Alves.
Festa pública depende do apoio do governo
Só em Porto Seguro, no Sul da Bahia, serão 20 festas, de acordo com o secretário municipal de turismo, Paulo Onishi. A prefeitura ainda não decidiu se haverá festa pública, pois depende do apoio da Polícia Militar da Bahia (PM-BA). “Dependemos do governo da Bahia, porque, sem PM, não tem como fazer evento”, destaca. Em Caraíva, a capacidade de cada festa é de 850 pessoas; em Trancoso, 2 mil, e, no Arraial D’Ajuda, 5 mil pessoas. A Axé Moi ampliou o público de 3 para 5 mil pessoas, com o último decreto. Elas estarão distribuídas em um espaço de 31 mil m².
“Estamos de acordo com o decreto do governo e respeitando o protocolo sanitário. Todos os clientes têm que estar com cartão de vacinação e os colaboradores têm que apresentar o ConecteSUS”, detalha Onishi.
O secretário também diz não estar preocupado com possível alta de casos do novo coronavírus. “Todos vão estar vacinados, temos a estrutura do governo e um hospital referência para covid no município, com 8 leitos semi utis e 10 de enfermaria”, acrescenta o titular da secretaria de turismo.
Em Ilhéus, a festa pública está cancelada e as privadas ainda não estão confirmadas. A superintendente de turismo, Margareth Araújo, acredita que a divulgação seja reforçada a partir de agora.
“Vão surgir mais festas e elas serão cada vez mais divulgadas. Antes, com o decreto de 3 mil pessoas, não dava para cobrir os custos de um grande evento. Por isso que a divulgação estava morna”, avalia.
Margareth afirma que a cidade está preparada para o final de ano movimentado. “Não temos como prever surtos, mas, a cidade está preparada para receber a quantidade de pessoas determinada pelo decreto, seguindo os protocolos da Anvisa e da Sesab, com a central de covid em stand by, se a coisa piorar”, reforça.
Em Maraú, também no Sul da Bahia, onde terá o Réveillon Mil Sorrisos, o prefeito Manassés Souza alega que todas as festas serão “dentro das regras previstas no município”. Em Lençóis, na Chapada Diamantina, a probabilidade é não ter festa pública, assim como em Mata de São João. As prefeituras aguardam posicionamento do Governo do Estado. Contudo, em Praia do Forte, haverá uma grande festa privada, com cinco dias de shows ao vivo, na Praia do Castelo, com Bell Marques e outros artistas.
Em Vera Cruz e Itaparica, os motivos do cancelamento da festa pública se devem ao aumento de casos da Europa e ao receio da variante ômicron. Em Camaçari, o prefeito decidiu suspender não só o réveillon, mas qualquer festa pública até março de 2022, “com o objetivo de conter o avanço da covid-19”.
Festas mantêm público limitado
Algumas festas optaram por não ampliar a capacidade do público. É o caso da Mama África, em Morro de São Paulo, a Sete Ondas, em Salvador, e a Nano, na praia de Subaúma, em Entre Rios. “Temos a preocupação com a segurança dos clientes e não temos interesse em ampliar a quantidade de pessoas. Nosso intuito é promover um formato mais exclusivo, para família e amigos, sem aglomeração e espaço bem amplo”, comenta Magdala Costa, gerente comercial da Nano Beach Club.
Os ingressos seguem na promoção da Black Friday até 10 de dezembro, por R$ 550, com jantar all inclusive no dia 31. O espaço tem 2.700 m² e receberá 300 pessoas por dia. Em 2020, o evento estava previsto para mil pessoas, mas, por conta das medidas restritivas, foi cancelado. O cartão de vacinação será exigido e metade dos ingressos estão vendidos.
O Sete Ondas, na Praia do Flamengo, manterá o público de 800 pessoas. “O novo decreto não altera nada, já que o nosso foco maior é oferecer conforto ao nosso público”, declara Bruno Boscolo, sócio de Feed Experince Hub, realizadora da Sete Ondas. Segundo ele, a terceira edição seguirá os protocolos sanitários exigidos, como a obrigatoriedade de imunização. “Por ser feito em espaço aberto, na praia, assegura ao consumidor mais segurança”, completa.
O Amoré 2022, em Morro de São Paulo, terá público de 2 mil pessoas, em um espaço de 5 mil m². 80% dos ingressos estão vendidos. “Decidimos não ampliar o público para garantir um serviço de excelência e, como é nossa primeira edição, vamos testar a roupagem e logística, para, no ano que vem, poder ampliar um pouco”, explica Eduardo Punzi, sócio da Memo, produtora do evento. A máscara é obrigatória assim como a vacinação.
O Mama África, também em Morro de São Paulo, continuará com capacidade de 1 mil pessoas por dia. “Exigiremos cartão de vacinação de todo o público e testagem da temperatura na entrada do evento”, afirma a produção do evento.
Infectologista orienta o que deve ser feito em grandes festas
A infectologista Clarissa Ramos, do Hospital Cárdio Pulmonar, orienta que, nas festas de pequeno, médio e grande porte, as aglomerações podem ser evitadas a partir da separação dos públicos em espaços menores.
“A solução são os boxes e tendas individuais, para permanecer o contato só de grupos que já estão em contato entre si. De preferência, em um ambiente aberto, ao ar livre e, a depender do tamanho do boxe, avaliar a quantidade de pessoas”, aconselha Clarissa.
Mesmo com a apresentação do cartão de vacinação, ela explica que há a necessidade de manutenção das medidas preventivas. “Embora a vacinação esteja avançada, precisamos das medidas de prevenção, porque o vírus ainda está circulando, com novas cepas. Não basta simplesmente estar vacinado, porque as pessoas podem transmitir ainda, mesmo sem sintomas”, esclarece a infectologista.
Clarissa ainda afirma que é preciso fazer um trabalho de conscientização com os participantes da festa. “As pessoas vão estar ali para celebrar, se juntar, vão falar alto, vai ter comida, então, vai ter retirada de máscara. É preciso não só ter a marcação no chão para manter a distância, mas as pessoas cumprindo os protocolos e tendo a consciência de que estamos em pandemia”, alerta. As informações são do Correio da Bahia.
Ela ainda pontua que, mais importante que a quantidade de pessoas na festa, é preciso observar a densidade. “A densidade de pessoas é mais importante, porque, se você fizer uma festa com cinco mil pessoas mas em um espaço gigante, é possível manter o distanciamento. Já uma festa com 10 pessoas em um cubículo é super perigosa”, contextualiza.
Confira preços e atrações das festas de réveillon da Bahia:
- Salvador
Réveillon Amar (Bahia Marina) - R$ 390 - Filhos de Jorge, Alexandre Peixe e Negra Cor
Réveillon do Bem (Terminal Náutico) - R$ 277 a R$ 333 - Filhos de Jorge e Batifun
Réveillon do Bailinho - R$ 150 (criança) a R$ 275 - Bailinho de Quinta, Cortejo Afro e Márcia Castro
Réveillon Além do Carmo (Chácara Baluarte) - R$ 215 a R$ 660 - Luiz Caldas e Jau
Réveillon Sete Ondas (Praia do Flamengo) - R$ 272,50 (criança) a R$ 545 - Negra Cor, Bailinho do Faustão, DJ Larriel
Viva Vida (Clube Espanhol) - R$ 220 (criança) a R$ 600 - Alexandre Peixe, Faustão e Batifun
- Entre Rios
Nano Beach Club (Praia de Subaúma) - 30/12 a 02/01 - R$ 390 a R$ 780 - Battata, Gueri, Kesia, Gabriela Nilo, 71nicius, DJ Bruno Dourado, 71nicius, Gueri e Sax, DJ Bruno Dourado, Guga Meyra, Péricles, Leonardo, DH8, DJ Bruno Dourado e Gabriela Nilo
- Cairu
Barra Grande - Reveillon Mil Sorrisos - 27/12 a 02/01 - R$ 700 a R$ 4 mil - Wesley Safadão, Pedro Sampaio, Bell Marques, Vintage Culture, Gusttavo Lima, Dennis DJ, Thiaguinho, Banda Eva, Jorge & Mateus, Atitude 67 Saideira
Morro de São Paulo - Amoré - R$ 800 a R$ 1.500 - 28/12 a 02/01 - Vintage Culture, Dennis DJ, KVSH, Pedro Sampaio, Banda Eva, Bruno Be, Felipe Mar, Pontifexx, Zedoroque, Locos, Meca, São 2, Sandeville, Igor Kelner, Saraiva, Onda, Korossy
Morro de São Paulo - Mama África - 28/12 a 31/12 - R$ 690 - MC Rebecca, Lincoln Senna, Duas Medidas, Nego Jha, Filhos da Bahia, DJ Joah, Pirilampo, Danv, Volac/Mat.Joe, Lexa
- Porto Seguro
Réveillon Axé Moi - 29/12 a 01/01 - R$ 350 a R$ 880 - Zé Neto & Cristiano, Parangolé, Cris Lima, Diego & Victor Hugo, Harmonia do Samba, Leo Santana e Saia Rodada
Réveillon Celebration - R$ 250 a R$ 900 - Psirico, Banda Semba, Saan Vagner e o Rapazinho
Cores de Caraíva - R$ 350 a R$ 1.200 - Marcelo Falcão, Lagum, Rodrigo Brinko, Pinguim, Rodrigo Brinko, Silva, Faisal, Banda Eva, Rodrigo Brinko, Pinguim
- Itacaré
Réveillon Nº 1 - 27/12 a 31/12 - R$ 720 a R$2.160 - Barões da Pisadinha, Bruno Be, Ona Beat, Lily Scott, Mangaio Coppola, Juliano Francisco, Anitta, Chemical Surf, Pontifexx, Sarah Stenzel, Wez Malora Nathalia, Juliano Francisco, Dennis Dj, Festa Santo Forte, Fancy Inc, Jessika Brankka, Wori, Paulo Recycle, Vintage Culture, Eva, Ona Beat, Sallas, FelipeLima, Paulo Recycle, Mascaro, Kesia
Réveillon Itacaré (São José Beachclub) - R$ 550 - DJ Rafa Gouveia
- Camaçari
Réveillon Villa Guarajuba - 29/12 a 31/01 - R$ 60 a R$ 190 - Jau, Mudei de Nome, DH8, Pedro Chamusca, Wilsinho, DJ Gabriela Nilo, DJ LA, Guga Meyra, Dan Valente, Forró do Tico, DJ LA e Isqueminha
- Mata de São João
Réveillon Praia do Forte 2022 - 27/12 a 31/12 - R$ 450 a R$ 1.300 - Gusttavo Lima, Barões da Pisadinha, Pedro Sampaio, Tuca, Léo Santana, Dubdogz, Raí Saia Rodada, Vintage Culture, Ashibah, Bell Marques, Durval Léllys e DJ Ralk

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem