Após luta contra tipo raro de leucemia, feirense Yasmin morre aos 11 anos | Reconvale Noticias


A feirense Yasmin Bastos Nunes, que lutava contra um tipo raro de leucemia, morreu aos 11 anos. A informação foi divulgada na manhã deste domingo (7) pelo perfil criado pela família para coletar fundos e tentar financiar os R$ 3,5 milhões necessários para realizar o tratamento nos Estados Unidos.
"Vai com Deus, guerreira. Sem palavras. Luto! Nós perdemos uma verdadeira guerreira", diz a publicação.
Em outubro a mãe da garota, Viviane Bastos usou as redes sociais para desabafar e disse que a União recorreu da liminar da Justiça Federal que determinou o depósito no valor de R$ 1.914.535,77 para complementar o tratamento Car-T Cell de Yasmin.
A mãe da menina Yasmin Bastos Nunes, de 11 anos, que luta contra leucemia linfoide aguda (LLA), fez um desabafo nas redes sociais. Segundo Viviane Bastos, a União recorreu da liminar da Justiça Federal que determinou o depósito no valor de R$ 1.914.535,77 para complementar o tratamento Car-T Cell da baiana, nos Estados Unidos.
Yasmin era portadora de leucemia linfoide aguda (LLA), um tipo raro e agressivo de câncer, desde 2015. Os pais dela procuraram a Defensoria Pública da União (DPU) para garantir o direito à única alternativa de tratamento, que é a terapia Car-T Cell. Eles criaram campanhas na internet para sensibilizar e mobilizar doadores.
"Nesta tarde recebemos duas notícias. Primeiro a Defensoria Pública entrou em contato informando que a União recorreu da liminar, a União negou a vida de Yasmin. Há 15 minutos recebi um e-mail do Hospital de Cleveland, que aceitou o tratamento de Yasmin, que já tinha deixado tudo certo. Eles responderam, após análise do quadro atual, que ainda sim é possível fazer a coleta das células, mas demonstraram preocupação pelo fato de a doença ter ido para o sistema nervoso, o que significa que a doença vem progredindo rapidamente", desabafou.
A situação causa desespero em Viviane Bastos, que apelou para que as pessoas façam mais doações, já que o Hospital de Cleveland pediu um retorno breve da família.
"Eles querem que a gente vá logo, mas a gente não tem dinheiro suficiente. Minha guerreira está aqui lutando a cada dia. Não está sendo fácil pra ela, nem para gente”, disse a mãe de Yasmin.
                                                       Informações G1

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem