Trans chamada de 'fofão' implora por ajuda na web: 'não tenho como me sustentar' - Reconvale Noticias

Notícias de Última Hora

Trans chamada de 'fofão' implora por ajuda na web: 'não tenho como me sustentar'




A transexual Juju Oliveira, que em agosto do ano passado veio a público revelar ser vítima de bullying e que é chamada de "Fofão" nas ruas por ter o rosto deformado após colocar silicone industrial, tem usado as redes sociais para pedir ajuda financeira.


Primeiro, a gaúcha de Passo Fundo (RS) disse que precisava arrecadar uma quantia para pagar exames e comprar uma passagem para São Paulo, onde se consultaria com um especialista para tentar retirar o produto que colocou no rosto. Sem sucesso, agora ela pede Pix para se sustentar.


"Não tenho como me sustentar. Por isso preciso, sim, pedir Pix. Qualquer valor, tudo ajuda", diz ela num post, revelando que não tem recebido mais ajudas. "Fico muitas vezes sem almoçar, tenho que ir dormir com fome, pedindo pix e ninguém ajudando. Por favor, me ajudem", escreveu em outra publicação, compartilhando seu e-mail para a doação através de Pix.


No ano passado, ela criou uma vaquinha virtual com a finalidade de fazer uma cirurgia. Na época, foi acusada por internautas de usar o dinheiro para comprar moto e roupas. Em abril, Juju veio a público dizer que doou os R$ 20 mil arrecadados para uma instituição de caridade. Desde então, vem contando com a ajuda dos internautas para viver.Trans


A gaúcha, de 30 anos, trabalhava na rua fazendo programas. Em 2017, ela realizou o procedimento no rosto numa clínica clandestina e pagou para colocar 250 ml de silicone industrial, que foram espalhados por bochecha, nariz, queixo e maxilar.


Em julho deste ano, ela contou que descobriu, através de um exame, que o produto injetado em seu rosto não seria silicone industrial, mas, sim, óleo mineral, o que teria provocado sua deformação.


"Eu paguei por silicone industrial. O rosto ficou muito diferente. Hoje fui buscar o exame e descobri que não se trata do silicone. Eu fui três vezes na pessoa que aplicou e olha o que colocaram no meu rosto: óleo mineral. E o que é o óleo mineral? Laxante para cagar! Eu fiz a primeira bombação, não vi resultado. Fiz três vezes. Encheram a minha cara de laxante. No primeiro ano ficou muito bom, e depois não parou de aumentar, deformar", contou ela a seus seguidores no Instagram.
Trans conhecida como Juju Fofão descobre que o que tem no rosto não é silicone Foto: rep/ instagram
Juju Oliveira arrecada R$ 8,8 mil em vaquinha Foto: Reprodução


Gaúcha trans Juju Oliveira relata bullying após colcoar silicone no rosto: 'Me chamam de fofão' Foto: Reprodução/Instagram
Juju Oliveira antes de colocar silicone no rosto Foto: Arquivo pessoal


Bullying nas ruas: 'Me chamam de 'Fofão'
Juju fez um desabafo nas redes sociais falando do bullying que vem sofrendo por ter colocado silicone no rosto. Num vídeo publicado em seu Facebook no dia 17 de agosto, ela, relata que até hoje é vitima de ataques por conta do resultado.


“Eles passam e me chamam de Fofão. Eu era uma pessoa como qualquer outra, aí fui inventar de fazer isso no rosto: silicone. Aí deu no que deu. Inchou e ficou desse jeito. Foi um erro meu”, lamenta. “Eu só estou querendo um pouco de respeito. Sou uma travesti de 30 anos. Sou natural de Passo Fundo, sempre morei aqui. Quero pedir um pouco mais de respeito”.


No vídeo publicado, ela contou ainda que trabalha na rua, fazendo programa: "Não estou aqui me queixando de nada. Só estou querendo respeito. Sou uma travesti, tenho 30 anos, trabalho na rua, e cada vez que as pessoas me veem elas gritam: Fofão!'. Não é por me comparar com Fofão, é pela falta de respeito pelo estado que eu estou. Olha como está o meu rosto. Muitas das vezes não quero vir para cá, mas eu preciso ganhar um troco". //Extra


Nenhum comentário