Brumado : família desabrigada pede ajuda para construir sua casa

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Brumado : família desabrigada pede ajuda para construir sua casa


A brumadense Poliana Cardoso está realizando uma campanha para construir a casa de uma família que se encontra desabrigada no bairro Apertado do Morro, em Brumado. A jovem lançou a campanha nas redes sociais após se comover com a situação da família que inclusive tem um recém-nascido.
"Eu inicie essa campanha pedindo ajuda à essa família porque a gente vê que eles não em condições alguma de construir a casa sozinhos.
Eles tinham uma casa no bairro Baraúnas, no entanto era de herança e foi vendida e dividido o valor entre os herdeiros. O pouco dinheiro que rendeu à eles, eles compraram o terreno aqui no Apertado do Morro e começou a levantar, mas o dinheiro acabou", disse Cardoso que também mora no mesmo bairro da família.
Morando de maneira improvisada em um barraco de lona, a família vive de doações. "Eles estão recebendo a ajuda da comunidade com relação aos alimentos, mas ainda precisa de muita coisa como fraldas para o bebê, leite, material de construção, enfim, quem poder ajudar", relata Poliana.


A dona de casa Márcia, 39 anos, que mora com o esposo, duas filhas -- uma de 9 anos e outra de 14 --, além de um neto de 3 meses, afirmou ao site 97NEWS que sua filha mais velha teve bebê recentemente, o que preocupa a família em ter um lar o mais breve possível.


"Meu esposo é pedreiro, mas não tem dinheiro pra comprar o material. O dinheiro que tinha da herança, ele investiu aqui e, lá não tinha como morar porque dava muita confusão, coisa de herança", relata.
Para não piorar a situação, vizinhos cederam água e energia elétrica á família para não passarem as noites no escuro. "Os vizinhos nos ajudam no que podem, tem alguns alimentos, mas a criança é que precisa mais. De leite, fralda (...) e o material de construção", diz.


O esposo Ubirajara, tem problemas de saúde e não consegue trabalhar todos os dias. "Ele consegue construir aqui aos pouquinhos, mas ele tem um problema na coluna e não pode pegar muito peso", conta. Segundo a família, uma equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (Sesoc) chegou a ir no local e acompanha a família de perto. "Eles vieram aqui, mas disseram que iriam ver o que podem fazer com a gente", disse. Para ajudar, bastar ligar no telefone 77 99912-6314.

Postar um comentário

0 Comentários