Governo do Maranhão multa Bolsonaro por causar aglomeração sem máscara


O governo do Maranhão autuou Jair Bolsonaro, nesta sexta-feira, 21, por realizar aglomerações sem máscara, descumprindo decreto estadual que obriga qualquer pessoa a usar máscara, manter o distanciamento social e não promover aglomeração como medidas sanitárias contra a Covid-19.
A multa foi lavrada pela Superintendência de Vigilância Sanitária, destacou a coluna de Leonardo Sakamoto, no UOL.
A superintendência destacou o "descumprimento da obrigação de uso de máscara de proteção como medida farmacológica destinada a contribuir para a contenção e prevenção da covid-19, em locais de uso coletivo, ainda que privados; promover, em evento da Presidência da República, aglomerações com controle sanitário com mais de 100 pessoas, no endereço Rodovia BR-222, s/n, km 5, Sindicato dos Produtores Rurais, Bairro Parque das Nações, município Açailândia".
A aglomeração promovida por Bolsonaro ocorreu no momento em que foi registrada a cepa indiana do coronavírus (B.1.617.2) no Maranhão, que chegou através de um navio cargueiro vindo da África do Sul.
A cepa indiana do vírus da Covid-19 tem causado recordes de mortes em seu país de origem.
Bolsonaro no Maranhão
Bolsonaro foi ao Maranhão e, além de agredir o governador, Flávio Dino (PCdoB), participou da entrega de "títulos de propriedade rural" pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Açailândia.
Em seguida, o chefe do governo federal fez "uma parada não programada", segundo ele próprio, em Senador La Rocque.
O ocupante do Palácio do Planalto fez questão de transmitir imagens das aglomerações em suas redes sociais.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem