Coronavírus : Enfermeira morre pouco mais de um mês após perder a mãe pelo vírus


A enfermeira Suely Gurgel, 40, que atuava na linha de frente de combate ao coronavírus em Mossoró (RN), morreu no início da manhã de hoje. Ela estava internada havia 50 dias em um hospital de Fortaleza (CE), após ter o quadro agravado por complicações causadas pelo vírus.

Suely e a mãe, Ivone Gurgel, 73, foram internadas no mesmo dia. A idosa morreu no início de dezembro. Pouco mais de um mês depois, foi a filha.

A advogada da família de Suely, Raquel Gurgel, que relatou as dificuldades da família para custear o tratamento da enfermeira e da mãe.

"Ela e a mãe foram internadas no mesmo dia, 23 de novembro, após testarem positivo em Mossoró. No início, o tratamento foi custeado através de ajuda da família e de doações, com a campanha de arrecadação que nós fizemos na internet."

Segundo a advogada, com o agravamento do estado de saúde, seria necessário transferir a enfermeira para o Ceará. Devido ao custo, foi preciso mover uma ação contra o Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

Em sessão ordinária no dia 10 de dezembro, o deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM-RN) chamou atenção para o caso.

"A família está com extrema dificuldade, isso já acontece há mais de 15 dias e até hoje não houve solução. Nosso apelo é para a Secretaria de Saúde do Estado, para que acelere as negociações junto ao judiciário para transferir a paciente", disse o deputado, na ocasião.


"A transferência e a estadia no hospital do bairro de Messejana, em Fortaleza, foi feita através de um bloqueio que conseguimos, por meio do processo judicial. Após um longo período de espera", disse Raquel.

Ainda de acordo com a advogada, Suely não tinha nenhum problema de saúde e estava trabalhando durante a pandemia.

Familiares lamentaram o falecimento nas redes sociais.
"Com muita tristeza que a gente vem aqui se despedir da nossa linda Suely, que todos conhecem e sabem do ser humano maravilhoso que ela é. E aqui vai ficar a saudade e as lembranças para sempre, com certeza." disse a prima Taís Gurgel.

Postar um comentário

0 Comentários