Ultimas Noticias

6/recent/ticker-posts

Enquete

Câmara derruba parecer do TCM e aprova por unanimidade as contas do ex-prefeito de Feira



O líder do governo na Casa da Cidadania, vereador José Carneiro, afirmou que Tarcízio Pimenta teve suas contas aprovadas em 2009, 2010 e 2011 e que no ano de 2012, quando as contas foram rejeitadas pelo TCM, era um momento de campanha política.



As contas do ex-prefeito Tarcízio Pimenta foram aprovadas por unanimidade dos vereadores na Câmara Municipal de Feira de Santana na manhã desta terça-feira (17), contrariando um parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O líder do governo na Casa da Cidadania, vereador José Carneiro, afirmou que Tarcízio Pimenta teve suas contas aprovadas em 2009, 2010 e 2011 e que no ano de 2012, quando as contas foram rejeitadas pelo TCM, era um momento de campanha política.
“Na minha opinião, é que houve interferências políticas, para que tentassem de alguma forma, rejeitar as contas do prefeito Tarzício Pimenta. Prova disso, é que o Ministério Público e o departamento jurídico do próprio TCM opinaram pela aprovação das contas do ex-prefeito”, afirmou.
José Carneiro atribui a reprovação das contas pelo TCM a diferenças políticas. “Havia um parecer que seria favorável a aprovação. Me recordo também que a então deputada, Graça Pimenta [esposa do ex-prefeito Tarcízio Pimenta], tomou posições políticas que não agradou alguns cardiais da política baiana e sabemos que aquele tribunal é formado por pessoas indicadas por cardiais políticos da Bahia. E então, como tem poderes, acredito que tiveram interferências na decisão, até de revogar e mudar o parecer que era então favorável”, afirmou.
O vereador disse ainda que a Câmara tem um quadro técnico competente, com pessoas qualificadas e que a decisão foi justa. “Eu entendo que a Câmara fez justiça”, ressaltou, alegando que não teve interferência do prefeito José Ronaldo no voto dele.
Já o vereador da bancada de oposição na Câmara, Pablo Roberto (PT), disse que analisou com muito cuidado o parecer do conselheiro, o parecer técnico do jurídico do TCM e do Ministério Público antes de tomar a decisão.
“Tive o cuidado de analisar todas as etapas, com todas as observações que foram pontuadas ao longo do processo. (...) No que eu pude analisar, e nossa equipe jurídica também, é que o ex-prefeito conseguiu preencher os requisitos, as solicitações que foram feitas pelo tribunal. Não posso dizer que o tribunal errou, mas essa mudança de uma hora dizer uma coisa e outra hora dizer outra coisa, não me deu segurança para votar contra. Para não comentar injustiça, votei favorável”, afirmou.
As informações são do repórter Paulo José do Acorda Cidade 

Postar um comentário

0 Comentários