Ultimas Noticias

Haddad vai passar Bolsonaro no próximo Ibope




Não sou vidente, mas os números não mentem jamais. Vamos a eles. De acordo com o Ibope, o primeiro colocado na pesquisa presidencial de 20 de agosto era "brancos e nulos", com 29%; o segundo, Bolsonaro, com 20%; em terceiro, "não sabe", com 12%; em quarto, Ciro, com 9%; Alckmin em quinto, com 7%; Marina em sexto, com 7% e Haddad em sétimo, com 4%.
A 18 de setembro, o primeiro é Bolsonaro (28%); o segundo, Haddad (19%); o terceiro "brancos e nulos" (14%); Ciro em quarto (11%); Alckmin e "não sabe" empatados em quinto (7%) e Marina em sétimo (6%).

"Brancos e nulos" caiu 15 pontos; Bolsonaro subiu 8; "não sabe" caiu 5; Ciro subiu 2; Alckmin não caiu nem subiu; Marina caiu 1 e Haddad subiu 15.

Ou seja: quem mais caiu foram "brancos e nulos" (15) e "não sabe" (5) e quem mais subiu foi Haddad (15). O que mostra de forma evidente que ele ganhou intenções de voto de quem pretendia votar em branco, nulo ou não sabia em quem votar. Não tirou nada de Ciro (que cresceu) e apenas 1 ponto de Marina.

Bolsonaro foi o segundo que mais cresceu (8), mas não tirou votos de Alckmin (que não subiu nem desceu).

Haddad cresceu o dobro de Bolsonaro, mais acentuadamente depois de 11 de setembro, quando se tornou candidato oficial. E ainda pode crescer mais tirando de "brancos e nulos" (14), "não sabe" (7), de Ciro (11) e Marina (6), na medida em que o eleitor perceber que só ele pode derrotar Bolsonaro. As curvas de ambos indicam que se aproxima o dia em que elas vão se cruzar e Haddad deverá estar, no próximo Ibope, à frente de Bolsonaro. Há de se levar em conta que nos próximos dias as mulheres vão fazer uma grande ofensiva contra o candidato que as humilha e enxovalha.

As simulações de segundo turno mostram Haddad e Bolsonaro empatados. É o resultado da percepção do eleitor baseada no momento atual, em que Haddad sobe, mas ainda está atrás de Bolsonaro. Quando ele virar, também deverá aparecer à frente nas pesquisas de segundo turno.

O Ibope de ontem confirma a irresistível ascensão de Haddad.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário