Ultimas Noticias

Bahia joga bem, mas desperdiça chances de gol e fica no 0 a 0 com o Atlético-PR


Após o triunfo sofre o Botafogo-PB pelas quartas de final da Copa do Nordeste, o Bahia voltou a campo neste domingo (29), mas desta vez, pela Série A do Campeonato Brasileiro. O Esquadrão recebeu o Atlético-PR, em partida válida pela 3ª rodada do Brasileirão, na Arena Fonte Nova, e não conseguiu quebrar a invencibilidade do Furacão. O Tricolor parou em boas defesas do goleiro Santos, em noite inspirada, e não saiu do 0 a 0.

O JOGO

O primeiro lance de perigo foi do time da casa. Logo aos 4 min, Nino Paraíba cruzou rasteiro. Paulo André e Bruno Guimarães cortam parcialmente; Vinícius bateu de primeira e a bola passou perto da trave.

Aos 16, Paulo André saiu jogando errado. Vinícius acionou Élber na direita. O atacante ajeitou e bateu firme, mas Santos fez a defesa em dois tempos.

Apesar de ter mais posse de bola, o time visitante só levou perigo aos 16 minutos. Guilherme recebeu no meio-campo e arriscou de longe. Douglas fez a ponte e encaixou a bola.

Por pouco o Bahia não abriu o placar aos 29 minutos, Zé Rafael ganha de Matheus Rossetto no meio-campo e bateu de esquerda. A bola desviou no caminho e explodiu na trave.

Segundo tempo

Logo nos primeiros minutos da segunda etapa, Élber bateu no canto, mas Santos fez uma defesa difícil e mandou para escanteio.

Em seguida, o Atlético deu a resposta. Guilherme recebeu na área após o cruzamento rasteiro e bateu. Zé Rafael salvou em cima da linha e evitou o gol.

Aos 10 minutos, Zé Rafael avançou pela esquerda e cruza rasteiro. Edigar Junio bateu, e Santos salvou. Depois, Élber tentou, e Santos faz mais uma defesa difícil.

Pouco tempo depois, Élber cruzou para Zé Rafael, que desviou de cabeça e manda para fora.

Aos 25, Júnior Brumado tocou de primeira e Léo, que apareceu cara a cara com o goleiro. Mas o lateral bateu mal e Santos salvou mais uma vez.

Por volta dos 38 minutos, Carleto ameaçou soltar a bomba na cobrança da falta, mas bateu com categoria e manda no travessão.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário